sábado, agosto 25, 2012

Carrancas 2012




Apresentação de 1º Projecto de Trabalho com o Cão da Serra da Estrela e Raças Similares

PREÂMBULO



Os cães de protecção de rebanhos (em inglês – livestock guarding dogs) constituem um grupo funcional dentro dos canis lupus familiaris muito específico, reconhecido hoje pela comunidade científica como um grupo de origem particular, de carácter e comportamento substancialmente diferentes dos outros tipos de cães.
Em termos da canicultura organizada esta especificidade não é espelhada de forma palpável, encontrando-se as raças deste tipo de cães distribuídas por vários grupos na classificação da FCI, por exemplo.

No que diz respeito à sociedade em geral, hoje encara-se de forma transversal o cão em primeira instância e por vezes exclusivamente como animal de companhia, havendo a tendência para uniformizar o comportamento expectável do cão, independentemente da sua génese e da sua função original, segundo os padrões comportamentais desejados pelo Homem.

Dotados de traços comportamentais muito específicos, naturalmente possantes e independentes, os cães de protecção de rebanhos são vulgarmente incompreendidos pela sociedade actual, inclusivamente por treinadores, veterinários, legisladores e outros agentes, por não corresponderem ao protótipo do cão potencialmente obediente que tudo faça sem nada questionar.

Neste grupo funcional incluem-se as raças portuguesas Cão da Serra da Estrela, Cão de Castro Laboreiro, Cão de Gado Transmontano e Rafeiro do Alentejo e muitas raças estrangeiras, entre as quais Cane da Pastore Maremmano-Abruzzese, Komondor, Kuvasz, Polski Owczarek Podhalanski, Slovenský Cuvac, Ioujnorousskaïa Ovtcharka, Coban Köpegi, Mastín español, Mastín del Pirineo, Chien de Montagne des Pyrénées, Jugoslovenski Ovcarski Pas – Sarplaninac, Atlas Mountain Dog – Aidi, Kraski Ovcar, Do-Khyi, Tornjak, Ciobanesc Romanesc de Bucovina, etc.
Umas mais do que outras, todas elas têm ainda exemplares cumprindo a sua função natural de protecção de rebanhos. Na nossa zona, é comum encontrar portentosos cães da serra da estrela guardando rebanhos.

Desde a sua génese que o Canil d’ Alpetratínia tem dado especial relevância no seu trabalho de selecção à vertente funcional e comportamental da raça cão da serra da estrela. Desde a pesquisa de exemplares em função, que passariam completamente à margem da canicultura organizada, para apresentação em exames de admissão ao registo inicial do LOP até à colocação de cachorros criados em rebanhos para viverem a sua função original, muitas têm sido as acções desenvolvidas no sentido de valorizar substancialmente esta vertente do cão.

Apesar de existirem trabalhos realizados no sentido de tentar criar formas de avaliar a aptidão natural e o equilíbrio comportamental deste tipo de cães, não se encontra reconhecida e interiorizada a diferença comportamental destes cães quer na comunidade cinófila quer na sociedade em geral.
Daqui surgiu a ideia de, em parceria com pessoas e/ou instituições cuja actividade contribua para a prossecução dos mesmos objectivos, desenvolver trabalho prático e contínuo no sentido de contribuir para a caracterização comportamental deste tipo de cães e avaliação da viabilidade de criar testes capazes de aferir a aptidão natural para o cumprimento da função.

Pretende-se, à priori, atingir dois objectivos:

1. divulgar e consciencializar criadores, proprietários e o público em geral das especificidades deste tipo de cão contribuindo para a sua sã convivência na sociedade actual, seja no cumprimento da função original ou em qualquer outra, incluindo a companhia.

2. desenvolver trabalho prático com criadores e proprietários no sentido de preservar nestes cães os traços comportamentais característicos, contrariando a tendência natural, que pode surgir, para corresponder na selecção às expectativas do mercado em relação ao protótipo do “animal de companhia”, e procurando tornar presente na selecção os aspectos comportamentais como tão ou mais importantes que os caracteres morfológicos.

Conscientes de que pretendemos iniciar um projecto sem fim “à vista” que só terá expressão palpável com o envolvimento do maior número possível de intervenientes, entre várias actividades já previstas, algumas programadas ou em programação e outras apenas congeminadas, decidimos começar com um acampamento numa quinta com mais de 2000 ovelhas e cabras, centenas de hectares, 3 Serras da Estrela.


Apresentamos o CARRANCAS2012!!!

 

Enviar um comentário